Invisalign x aparelhos fixos: Principais diferenças

O Invisalign é um aparelho discreto e invisível. Já os aparelhos ortodônticos convencionais são uma verdadeira “geringonça”; um amontoado de metais, borrachas, fios, entre outros componentes que, de acordo com os especialistas em odontologia de todo o mundo, estão com os dias contados.

Isso porque o Invisalign é produzido com um material termoplástico com tecnologia de última geração para tratamentos ortodônticos.

E ele funciona por meio de pequenos alinhadores presos em uma espécie de protetor bucal que é encaixado nos dentes de forma quase que totalmente transparente.

 

Esses alinhadores são produzidos em 3D após um completo escaneamento da arcada dentária do paciente; o que permite que eles sejam produzidos de forma totalmente personalizada e milimetricamente adaptáveis ao desenho da sua cavidade oral.

E o melhor: permitem que, de frente para um computador, o profissional produza uma “fotografia” de como ficarão os dentes do paciente antes mesmo de terminar o tratamento; como uma das principais singularidades e curiosidades desse segmento de correção de transtornos dentários.

O aparelho ortodôntico tradicional e as diferenças com relação ao Invisalign

A diferença mais marcante entre o Invisalign e os aparelhos ortodônticos convencionais, sem dúvida, dizem respeito às quantidades de materiais utilizados durante o tratamento com estes últimos.

Hoje até já existe uma série de materiais, como a porcelana, o policarbonato, a cerâmica, a borracha transparente, a safira, os bráquetes transparentes, entre outras inovações que melhoraram, e muito, o fator estético.

No entanto, o tratamento com aparelhos fixos ainda é o que causa mais incômodo e desconforto – dois transtornos que os que optarem pelo método Invisalign desconhecerão quase que totalmente.

Outras diferenças marcantes entre os dois procedimentos dizem respeito aos cuidados que cada um exige, além do tempo de tratamento e facilidade de higienização.

Nesses quesitos o Invisalign ganha de sobra, já que o conjunto de peças que compõem os aparelhos convencionais atuam como um verdadeiro empecilho à correta higienização da boca –  além do fato de tornarem o aparelho bem mais fácil de quebrar.

O tempo de duração desse tipo de tratamento também é um pouco mais demorado que o do Invisalign.

E esse período pode estender-se, ainda mais, a depender do grau do transtorno, da idade do paciente e dos cuidados com o aparelho.

Mas, afinal, qual é a melhor opção?

Como pudemos perceber até aqui, o Invisalign ganha de sobra quando o assunto é alinhar os dentes de forma rápida, indolor e com a discrição que só mesmo um “aparelho invisível” (como ele também é conhecido) pode proporcionar.

O problema aqui é o fato de que, enquanto os aparelhos convencionais são capazes de resolver praticamente qualquer problema relacionado com o alinhamento dos dentes, o Invisalign é mais restrito e só resolve casos mais simples e que exigem uma menor intervenção.

Outra diferença marcante entre ambos os procedimentos é o preço. Um tratamento com aparelhos tradicionais, por exemplo, pode não ultrapassar os R$ 1.500,00 reais para a maioria dos casos. Enquanto uma correção simples executada com o Invisalign dificilmente sairá pelo valor de R$4.000,00.

Portanto, a dica aqui é analisar quais os seus objetivos com o tratamento, o quanto está disposto a pagar por ele, o quão importante é a questão estética, entre outros fatores que certamente farão toda a diferença para o sucesso dessa missão, muitas vezes problemática, de corrigir o alinhamento de uma arcada dental.

 

 

Comente, discuta, questione, compartilhe. Somente dessa forma você nos ajudará a aprimorar, ainda mais, os nossos conteúdos.

Aprenda a vender mais nas redes sociais

As pessoas, normalmente, ficam boa parte do tempo conectadas, por isso as vendas nas redes sociais passaram a ser tão importantes para os empreendedores. 

Os sites revolucionaram as relações interpessoais, profissionais e comerciais, assumindo um papel fundamental na comunicação atual.

Uma pesquisa aponta para o fato de que, nos últimos anos, uma em cada três pessoas usaram alguma rede social, o que representa aproximadamente 2.48 bilhões de pessoas online, em mídias como o Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, YouTube, entre outras.

Outro estudo relacionou o Brasil como um dos países em que as pessoas passam mais tempo lendo e gerando conteúdo online.

Portanto, os dados demonstram a relevância da presença nas redes sociais na atualidade. Afinal, são espaços que permitem a divulgação da marca, com o compartilhamento de postagens dos sites das empresas, e a interação do público-alvo. 

Entretanto, com a grande competitividade do mercado e a enorme variedade de informações disponíveis online, os usuários demonstram cada vez mais exigência. 

Eles demandam a produção de conteúdos originais e de qualidade, capazes de chamar a atenção, ajudar e cativar os consumidores em potencial.

Aos empreendedores, cabe a percepção da relevância das redes sociais como instrumentos de comunicação com o público, com potencial para aumentar significativamente as vendas, independentemente do setor de atuação ou das dimensões da empresa.

Vantagens das redes sociais para empresas

Atualmente, a presença nas redes sociais é considerada um fator de sucesso para muitos empreendimentos. Basta notar que praticamente todas as grandes marcas se fazem presentes nas plataformas. 

Também há uma grande quantidade de negócios, de todos os setores e dimensões, que ganharam visibilidade na redes e conquistaram mais espaço em seus mercados. Isso ocorre, principalmente, devido às seguintes vantagens:

  • Aumento da notoriedade e visibilidade da marca;
  • Mais autoridade para a empresa, com base na crescente confiabilidade;
  • Ótima taxa de conversão de visitantes em potenciais clientes;
  • Oferecimento de experiências mais completas aos consumidores;
  • Obtenção de informações úteis para melhorias em atendimentos e produtos;
  • Fortalecimento de um relacionamento duradouro com clientes e potenciais clientes;
  • Incentivo às recomendações e fidelização dos consumidores;
  • Aumento do tráfego orgânico para o site das empresas.

Como vender mais nas redes sociais?

Tendo em vista os benefícios de se fazer presente nas redes sociais, é preciso entender algumas recomendações para utilizar os canais para vender mais.

É válido lembrar que cada rede tem particularidades distintas, e é de extrema importância que as ações de marketing levem em conta cada uma dessas especificidades. 

Entretanto, algumas dicas são essenciais independentemente da escolha do canal. São elas:

Estar na rede social mais adequada para o negócio

Um erro bastante comum entre os empreendedores, principalmente, os iniciantes, é desejar estar presente em todas as redes sociais. 

Além de ser praticamente impossível, com o surgimento frequente de novas plataformas, o mais recomendável é a escolha da mídia que mais combina com o seu tipo de negócio.

Uma empresa especializada em serviços de demolição, para exemplificar, deve investir em um blog com materiais informativos relacionados ao tema e, somado a isso, procurar saber a mídia preferida do seu público. 

Assim, ela pode divulgar os conteúdos e aproveitar a interação no canal que concentrar a maior quantidade de clientes e potenciais clientes, dispensando a administração de redes desnecessárias, que pode ser trabalhosa e não dar retorno.

Investir no branding da marca

As redes sociais possibilitam o relacionamento com a audiência, com segmentação excelente, facilitando o contato com o público-alvo.

As interações e a quantidade de seguidores das empresas garantem a notoriedade, visibilidade e crescente credibilidade das marcas. 

Entretanto, para impulsionar a venda de cobertura de vidro retrátil preço compatível com o mercado, é necessário uma estratégia de branding.

O branding envolve a criação de conteúdos com foco especial no desenvolvimento de uma identidade visual e linguagem própria da empresa, que podem tornar as vendas mais fáceis e naturais – quando ele é bem desenvolvido.

Criar conteúdo relevante

Com tanto conteúdo disponível online, uma empresa especializada na instalação de calhas ou outros serviços, por exemplo, deve investir em postagens diferenciadas para chamar a atenção do público. 

O conteúdo relevante deve ser exclusivo, consistente, bem produzido e relacionado à missão e valores da empresa.

Vale a pena investir em reviews, com vídeos mostrando os serviços, fotos, infográficos explicativos e imagens de impacto. 

Um calendário editorial pode ser bastante importante no planejamento do conteúdo.

Incentivar a conexão e a interação

A relação de amizade com os clientes e possíveis clientes pelas redes pode resultar em fidelizações e recomendações, principalmente, no momento pós-venda, cativando ainda mais o público.

Para interagir o máximo possível, a dica é responder todos os comentários, tirar dúvidas e priorizar o contato com os consumidores. 

Em casos de questões mais complicadas, como reclamações, nunca se deve abandonar uma conversa com um cliente antes de resolvido o problema.

Demonstrar o produto ou serviço da melhor maneira possível

Se o objetivo é vender um produto, como um portão automático basculante, as redes ajudam os clientes. 

Vídeos demonstrativos ou transmissões ao vivo mostram os produtos e tiram dúvidas, de uma maneira atraente, acessível e informativa.

Entretanto, é preciso um pouco de cautela no oferecimento direto das ofertas, que devem estar presentes na minoria das publicações, evitando o estresse e o desinteresse da audiência. A maioria dos conteúdos deve ser valioso para o público.

Usar ferramentas de gestão de mídias sociais

As estratégias de divulgação costumam demandar a criação de perfis nas principais redes sociais, para o compartilhamento de links de publicações ou vendas. 

Entretanto, mais do que apenas criar, as plataformas exigem bastante dedicação e não podem jamais serem esquecidas.

As ferramentas de gestão são essenciais para otimizar as tarefas envolvidas no lançamento e acompanhamento dos conteúdos. 

Com elas, a equipe de marketing pode agendar as postagens, monitorar as menções à marca, responder comentários de usuários e até mensurar os resultados das campanhas mais facilmente.

Utilizar grupos e comunidades

Comunidades reúnem pessoas com os mesmos interesses. Por isso, elas são tão eficientes para a divulgação de produtos, principalmente, para audiências segmentadas, como é o caso de uma broca para granito, de interesse de profissionais da construção civil.

O ideal é procurar grupos relacionados ao produto ou serviço vendido, participando de fóruns e respondendo ao máximo de perguntas possível. 

Por outro lado, a postagem de links de vendas repetidamente e sem contextualização pode repercutir negativamente.

A dica é estabelecer uma conversa com os potenciais clientes, avaliando os seus problemas, ajudando em possíveis soluções, para só depois oferecer a broca de madeira, ou de outros materiais.

Estudar as redes sociais dos concorrentes

Se o grande objetivo é se diferenciar em seu mercado de atuação, uma empresa precisa ficar atenta às novidades dos concorrentes diretos e outras empresas que se destacam em determinado mercado de atuação.

É preciso analisar o que elas estão fazendo de certo e errado. O estudo tem como objetivo o entendimento das estratégias capazes de gerar mais engajamento, dependendo de cada público.

Incorporar o social commerce

Social commerce é um conceito que surgiu com a popularidade dos comércios eletrônicos de produtos e serviços. 

Em termos gerais, é como se fosse a integração de e-commerces às mídias sociais, que é feita com a adição de plugins no site.

A incorporação permite a venda de serviços ou produtos, como uma motosserra profissional, diretamente ao consumidor, sem endereços intermediários.

Investir em anúncios

O conteúdo orgânico é eficiente para atrair a audiência, especialmente quando é bem planejado. Contudo, fica mais fácil conseguir bons resultados em vendas com os posts patrocinados.

Existem diferentes formatos, com a possibilidade de definir metas e mensurar os resultados das campanhas. 

Sendo assim, o que importa na escolha deste tipo de ação é a segmentação assertiva, que possibilita o alcance de mais interessados em cerca de arame farpado, para citar um exemplo.

Oferecer vantagens exclusivas

A fidelização do público pode ser incentivada com a utlização de ofertas especiais pelas redes sociais. 

A iniciativa também contribui para incentivar o público no engajamento e acompanhamento das postagens. 

Com mais pessoas interagindo com a marca, também aumenta a sua visibilidade e, consequentemente, oportunidades de vendas.

Criar metas e monitorar resultados

Fica difícil ter sucesso em qualquer estratégia de marketing sem definir metas e objetivos. É importante criar metas realistas, que possam ser alcançadas e medidas com os recursos do negócio, além de possibilitarem o crescimento a longo prazo. 

Portanto, uma empresa que deseja impulsionar as vendas deve investir em ações diferentes do que aquela que quer aumentar a popularidade online ou estabelecer um relacionamento mais íntimo com os consumidores – embora todos esses aspectos estejam relacionados, contribuindo para o crescimento dos negócios.

As equipes de marketing precisam realizar testes, acompanhar diariamente a repercussão das ações e medir o desempenho das estratégias, em busca de pontos de melhoria.

Ao final, é possível aproveitar as vantagens do investimento em redes sociais, com o aumento de vendas. Isso é possível quando o empreendimento realiza as estratégias mais adequadas para o seu público e mercado de atuação.

Suplementos alimentares recomendados para idosos

Para garantir uma boa qualidade de vida e saúde, precisamos consumir alimentos ricos em vitaminas e minerais, a fim de completar as necessidades diárias. Quando chegamos à terceira idade, precisamos repor muitos desses nutrientes e nem sempre a alimentação consegue complementar a quantidade necessária, daí entra o uso de suplementos. Conheça quais os suplementos alimentares recomendados para idosos. Alguns dos suplementos alimentares mais recomendados para os idosos incluem:

Vitamina A

Promove uma boa visão, bem como o crescimento de células e tecidos saudáveis. Consumo diário recomendado: 700 mcg para mulheres e 900mcg para homens.

Vitamina B

O ácido fólico (também chamado folato ou vitamina B9), a vitamina B6 e a vitamina B12 são necessárias para o bom funcionamento do cérebro. O ácido fólico também protege contra doenças cardíacas, enquanto a vitamina B6 ajuda a manter um sistema nervoso saudável.

Uma deficiência de vitamina B12 pode causar danos irreversíveis aos nervos, e os idosos normalmente não conseguem absorver o suficiente dessa vitamina. Eles têm níveis mais baixos de ácido estomacal, necessário para absorver a vitamina B12 dos alimentos – portanto, eles precisam de um suplemento diário. Consumo diário recomendado: 400mcg de ácido fólico; 1,5 mg de vitamina B6 para mulheres e 1,7 mg para homens; 2,4mcg de vitamina B12.

Cálcio, Vitamina D e Magnésio

O cálcio ajuda a prevenir doenças ósseas, é essencial para a função muscular e para a coagulação normal do sangue. O recomendado é consumir a vitamina D e cálcio juntos, pois a vitamina D ajuda o corpo a absorver melhor o cálcio. Também protege contra muitos tipos de câncer, incluindo os de mama, próstata e cólon. Enquanto você pode obter sua dose diária de vitamina D através da exposição ao sol, os idosos tendem a receber menos sol do que as pessoas mais jovens. A capacidade do corpo de absorver cálcio também diminui com a idade; portanto, indivíduos mais velhos podem precisar desses suplementos. O magnésio também deve ser tomado com cálcio, para compensar o efeito constipante deste último. Mas certifique-se de que não haverá exageros na dose de cálcio – isso pode causar calcificação ou endurecimento dos tecidos moles nos rins, pulmões e coração.

Consumo diário recomendado: 1.000 UI de vitamina D; 500 mg de cálcio; 250 mg de magnésio. Qualquer coisa com menos de 800 UI de vitamina D diariamente não ajudará a evitar a perda óssea em idosos.

Zinco

Esse mineral ajuda a manter um sistema imunológico saudável, mas a maioria dos idosos não recebe o suficiente com a dieta. Os sinais de deficiência incluem falta de apetite, cicatrização lenta de feridas, bronquite e pneumonia. Nos homens, o zinco é especialmente importante para a saúde da próstata. Consumo diário recomendado: 8mg para mulheres e 11 mg para homens.

Ácidos graxos ômega-3

Os ácidos graxos ômega-3 (DHA e EPA) reduzem a inflamação, que desempenha um papel importante no desenvolvimento de quase todas as doenças. Eles também são importantes para a saúde e função do coração, cérebro e articulações. Escolha cápsulas ômega-3 ou líquidos de alta qualidade. Isso pode ser mais caro, mas se você continuar com este suplemento, poderá obter um produto de baixa qualidade. Os óleos de peixe purificados têm maiores concentrações de EPA e DHA, para que mamãe e papai não precisem consumir tantas cápsulas. Consumo diário recomendado: 1.000mg de EPA e 500mg de DHA. Antes de consumir qualquer suplemento é importante consultar o seu médico, a fim de diagnosticar as suas reais necessidades de acordo com o seu estado de saúde.

Como investir em endomarketing pode ajudar sua empresa

Do dicionário, endomarketing é o termo utilizado para se referir a um conjunto de estratégias que podem ser utilizadas para fortalecer a comunicação interna, por meio do marketing institucional.

Como a sua empresa se comunica com o público interno? Esse questionamento pode impulsionar as estratégias e, acredite, uma boa comunicação é a chave para a construção de um relacionamento interpessoal satisfatório.

Autores da área acreditam que fortalecer a comunicação institucional é algo que traz boas práticas, melhora o desempenho das equipes e ajuda a disseminar a cultura da organização.

Em ambientes industriais, é comum que os colaboradores se deparem com a necessidade de manusear equipamentos, como esteiras transportadoras.

Por isso, investir na elaboração de uma cartilha do modo de uso dessa máquina, com destaque para a importância do uso dos equipamentos de proteção individual (EPIs) é um bom exemplo de usar a estratégia.

Além de guias e cartilhas, o marketing institucional pode se materializar em diversas estratégias. 

Quer saber quais são? Continue lendo esse artigo e descubra o que é esse conceito na prática, além de dicas interessantes para implementá-lo na sua marca!

Crie um canal de comunicação interna

Comunicação deve ser uma chave e não um problema. Por isso, fortaleça sua estratégia de comunicação interna para se comunicar com seus funcionários.

Compartilhar informações, produzir comunicados oficiais, trabalhar estratégias de newsletter internamente e ter um canal onde os membros da sua empresa possam sugerir melhorias ou dar feedbacks é algo que reflete no relacionamento interpessoal e no próprio engajamento dos colaboradores.

Para empresas de usinagem, por exemplo, uma forma de fortalecer essa estratégia é a criação de rodas de conversa ou reuniões colaborativas.  

O segmento da usinagem consiste na criação de peças de metal e envolve uma rotina dinâmica no que diz respeito ao uso de ferramentas, bem como questões de segurança do trabalho, infraestrutura do ambiente e conhecimentos operacionais.

Promover reuniões colaborativas, criar questionários e envolver a liderança da produção em processos que servem para melhorar as estratégias, são algumas possibilidades para utilização da comunicação interna.  

No entanto, esse tipo de técnica também pode ser usada para outras finalidades, como:

  • Produção de boletins informativos;
  • Divulgação de oportunidades internas;
  • Promoção de eventos para colaboradores;
  • Criação de pesquisas de opinião.

Ainda no caso de um ambiente industrial, existem algumas particularidades que podem ganhar mais atenção quando há um canal de comunicação interna. 

É o caso das paradas de manutenção industrial dos maquinários, período no qual a produção é paralisada para avaliação de especialistas sobre o funcionamento das máquinas.

Em outro cenário, como um hospital, por exemplo, a necessidade de manutenção preventiva e corretiva de equipamentos médico hospitalares também é necessária, dessa forma, emitir comunicados oficiais sobre esse momento é fundamental para a organização interna do trabalho neste setor.

Invista em cursos de capacitação

Marketing não é só divulgação, mas sim construção contínua de relacionamento. Quando a estratégia envolve marketing institucional então, é preciso fazer o seguinte exercício: como os colaboradores enxergam propósito na sua empresa e são incentivados por ela?

Ao promover palestras, criar parcerias com cursos profissionalizantes ou incentivar a capacitação profissional, sua empresa fortalece a imagem de valorização do crescimento do colaborador.

Ao mesmo tempo em que isso é uma ação que motiva o desenvolvimento humano, saiba que os cursos de capacitação feitos por colaboradores internos retornam em aplicação do conhecimento para a rotina do seu negócio.

Vamos para um exemplo prático: quando realizado um monitoramento ambiental, é importante que o quadro de funcionários esteja atento às mudanças da legislação ambiental, bem como às notícias do setor e às particularidades da emissão do documento de acordo com o segmento empresarial.

Se essa empresa investe em cursos de extensão, palestras, capacitação contínua e treinamentos para os funcionários, as chances de oferecer um serviço melhor são bem maiores.

Além de preparar melhor a equipe diante do mercado, cursos de capacitação  podem ajudar as pessoas no desenvolvimento de habilidades, além do mais, caso a empresa tenha um plano de carreira, isso é um incentivo para o crescimento mútuo.

Logo, os cursos são também uma porta que se abre para a motivação e o engajamento do colaborador, não acha?

Além das demandas da área ambiental, os cursos de capacitação e treinamentos podem ser um plus para determinadas funções dentro de uma empresa. 

Se um profissional que trabalha na parte dos reparos, ter a oportunidade de aprender como fazer um conserto de aquecedor harman ou  aprimorar o que já sabe em relação à manutenção elétrica, ele pode ter um desempenho melhor. 

Importante lembrar, que tudo isso é uma forma de preparar a equipe interna para adversidades/problemas futuros.

Quando as pessoas possuem conhecimentos específicos, isso pode dispensar a contratação de uma empresa terceirizada, além de agilizar o processo de manutenção.

Imagine que há um problema de última hora nas instalações hidráulicas. Ter um setor que foi capacitado para realizar manutenção de equipamentos hidráulicos de prontidão pode evitar muito estresse e perda de recursos.

Por fim, vale lembrar que conhecimento é uma via de mão dupla. Bom para quem recebe e também para as pessoas que o aplicam com um propósito coletivo.

Ofereça um plano de carreira

Confraternizar momentos, investir em desenvolvimento dos colaboradores e ter uma boa comunicação são fundamentais para gerar o engajamento das pessoas com uma causa ou empresa.

Mas já pensou em transformar essa motivação ou reter bons talentos de forma mais prática e eficaz? Ofereça um plano de carreira! 

Além de gerar vantagens que vão durar muito tempo, empresas que apostam nesse tipo de oferta agregam credibilidade à imagem empresarial em relação às características de desenvolvimento, inovação e relacionamento duradouro.

Planos de carreira são interessantes para todas as áreas, mas imagine o quanto isso não pode gerar reflexos positivos em funções mais técnicas, por exemplo, na indústria ou na área de engenharia elétrica. 

Algumas tarefas exigem especificações técnicas, como no caso da manutenção de um transformador isolador trifásico, ou na instalação de forma adequada de uma válvula industrial nas tubulações diversas. Por isso, a importância de alguém qualificado.

Além disso, são vantagens do plano de carreira:

  • Maior chance de retenção de bons talentos;
  • Redução da rotatividade empresarial;
  • Incentivo à evolução constante;
  • Reconhecimento profissional;
  • Valorização dos talentos e habilidades;
  • Crescimento mútuo.

Promova confraternizações

Celebrar conquistas e resultados é algo que motiva os colaboradores, ao mesmo tempo em que promove a empresa rumo a uma construção de credibilidade e desenvolvimento.

Portanto, promova eventos de confraternizações para destacar os objetivos, fortalecer vínculos e compartilhar propósitos em comum com quem trabalha com você e pelo seu negócio.

Nesses momentos, é interessante destacar coisas positivas sobre o setor, anunciar as novidades da empresa e perspectivas para o futuro.

Digamos que seu negócio é uma indústria que trabalha com máquinas de extração e criação de peças. 

Ao adquirir itens como pinos extratores para moldes, que certamente facilitarão a vida das pessoas na hora de retirar as peças, é importante comunicar a mudança de alguma forma.

Os momentos de confraternização são ótimos para fortalecer o relacionamento institucional e captar ideias novas para ações de marketing com seu público interno.

Quais são os benefícios do endomarketing?

Afinal, quais são as vantagens e benefícios de criar uma estratégia de endomarketing na sua empresa? 

Além de ser uma forma de alinhar expectativas e perspectivas para o futuro por meio da comunicação, essa estratégia fortalece o propósito da empresa.

Com uma boa comunicação, há menos chances de ruídos nos comunicados, além de grande parte dos problemas serem eliminados.

O clima  organizacional interno pode melhorar, já que os colaboradores tendem a ficar mais engajados, pois sentem-se em um espaço de colaboração construtiva. A interação entre líderes e suas equipes também pode ser melhorada.

Outra vantagem é criar a sensação de pertencimento entre os colaboradores da sua empresa. 

Por que as pessoas vão trabalhar todos os dias? Essa é uma resposta que a longo prazo, pode trazer muitas respostas e dizer muito sobre os resultados.

Estudos comprovam que a felicidade no trabalho é um motivo para o engajamento e o compromisso com as atividades diárias. 

Portanto, é fundamental que o setor de comunicação interna ouça demandas, promova mudanças e tenha um diálogo aberto com quem faz parte do time.

Por esses e outros benefícios, o endomarketing é uma estratégia que deve ser incorporada ao plano de ações da sua empresa. 

Como criar uma visão positiva e destacar um posicionamento de grande valia na internet e no mundo offline, se as pessoas que trabalham com você não conhecem esse método?

A comunicação traz credibilidade, quebra ruídos, facilita problemas e transforma ambientes. Por isso, adotar essa postura é algo que pode mudar a relação da sua empresa com os funcionários para melhor.

Como descobrir o código do Banco do Brasil?

Você sabe qual é o código Banco do Brasil? Conhece a sua importância ou a serventia? Então descubra tudo isso e muito mais ao prosseguir com a leitura. 

O código Banco do Brasil é um código de inegável importância, especialmente quando o assunto é transferência bancária, tanto na modalidade DOC quanto na TED.  

Afinal, esse número, também conhecido como código de compensação do Banco do Brasil, é utilizado para identificar a instituição. Assim, ele serve como uma espécie de RG ou CPF do banco.

Por que saber o código Banco do Brasil? 

Saber o código Banco do Brasil é muito importante. Isso porque você precisará dele em qualquer tipo de transferência de dinheiro de uma conta de um banco para a conta de um Banco do Brasil. 

Atualmente, todas as transações de transferência bancária solicitam o código Banco do Brasil. Por isso, em transferências feitas para o Banco do brasil é obrigatório o uso do código Banco do Brasil

Ele se trata de uma espécie de medida de segurança. Afinal, há a possibilidade de encontrar uma infinidade de instituições financeiras por aí. Aliás, mais fácil ainda é encontrar aquelas que apresentam nomes muito parecidos, o que pode levar a algum tipo de engano.

Como descobrir o código Banco do Brasil?

É muito simples. Há diversas formas de saber o código Banco do Brasil. Uma delas é indo a uma agência do Banco do Brasil mais próxima e se informar sobre o código. Outra delas é ligar ao SAC. No entanto, ainda há uma forma mais simples: pesquisar na internet.

Através da internet, é possível descobrir o código Banco do Brasil de maneira praticamente instantânea. Contudo, é preciso pesquisar em sites confiáveis.

A fim de que você não perca o seu tempo, saiba que o código Banco do Brasil é o 001. Use-o para verificar os dados de transferência! Conferir é sempre muito importante.

Como limpar janelas de vidro sem deixar manchas

Você já perdeu 10 minutos limpando uma janela apenas para perceber que acabou com mais manchas do que quando começou? Apesar dos nossos melhores esforços, essas manchas são difíceis de evitar.  Se você está pensando em como limpar os vidros das janelas sem deixar vestígios, nosso guia de cinco etapas contém dicas e truques úteis que farão com que brilhem rapidamente.

Dicas especiais para limpar janelas de vidro

Limpar janelas de vidro é um daqueles trabalhos que podem ser facilmente subestimados. No entanto, mesmo um pouco de sujeira pode afetar a quantidade de luz que entra em sua casa. Portanto, tente fazer uma boa limpeza por dentro e por fora, várias vezes ao ano, especialmente se você mora perto de uma rua movimentada.  Primeiras coisas primeiro: reúna seus ajudantes, quanto mais mãos, melhor. Depois, junte seus utensílios; Aqui, mostramos o que usar para limpar as janelas:

  •         Uma escova seca
  •         Balde de água quente com sabão ou spray para limpar as janelas
  •         Uma grande esponja
  •         Limpador de vidro
  •       Panos para limpeza profissional

Dica: Para remover marcas de graxa, esfregar ou polir, as toalhas de cozinha absorventes são ideais: elas são resistentes, mesmo molhadas!

Prepare as janelas para limpeza  

A melhor maneira de limpar as janelas sem deixar manchas é fazê-lo em um dia nublado, uma vez que a luz direta do sol seca suas janelas muito rapidamente, deixando traços. Prepare cada etapa antes de começar: amarre as cortinas ou levante as persianas e remova todos os objetos que estão no parapeito da janela. Em seguida, pegue uma escova seca e varra os cantos da moldura da janela e os móveis ao redor para remover toda a poeira e sujeira.

 

Use um pedaço de toalha de cozinha para remover marcas de gordura ou impressões digitais e depois jogue-o na lixeira. As toalhas de cozinha são preferíveis nesse estágio, pois evitam que a graxa seja passada para panos ou esponjas (que, por sua vez, podem espalhar a graxa para outras áreas da janela).

Como limpar o vidro da janela

Depois de preparar as janelas para limpeza, use uma esponja e água quente com sabão (ou um spray de limpeza) para remover qualquer sujeira do vidro. Para obter melhores resultados, remova o excesso de água com o limpador de vidro, começando da parte superior da janela para baixo em um movimento em forma de “S”. Certifique-se de limpar a borda do limpador de vidro constantemente com uma toalha de cozinha para evitar retornar sujeira à janela.

Remova qualquer vestígio de água 

Remova o líquido de limpeza que permaneceu na janela com um pano úmido. Trabalhe em pequenos círculos ou pinceladas de cima para baixo da janela até que o vidro esteja limpo. Limpe também a moldura e o peitoril da janela para prender qualquer líquido que possa estar vazando e seque completamente com uma toalha de cozinha.  Dica: Se você está procurando uma solução natural para limpar janelas, vinagre e suco de limão também podem ajudar a remover a gordura e as manchas do vidro. Adicione um pouco de água à solução e mergulhe o pano nela antes de limpar os vidros das janelas.

Polimento para obter muito brilho

O segredo de limpar as janelas sem deixar manchas é polir. Procure um par extra de mãos (um amigo, seu parceiro ou os filhos) e um par de panos de microfibra. Agora você sabe como limpar o vidro da janela muito sujo sem deixar manchas. Suas janelas brilharão quando o sol nascer e sua casa ficará mais iluminada!

Marketplace ou e-commerce: qual a melhor opção para o seu negócio?

Um dos principais impactos da popularização da internet no mercado é a adesão cada vez mais evidente de negócios digitais, como o marketplace e e-commerce, que podem gerar dúvidas nos empreendedores na hora de escolher como expor produtos e serviços.

Para identificar qual modelo se enquadra em seu negócio, é de grande importância, primeiramente, compreender os conceitos e distinções de maior destaque.

Imagine como exemplo, uma empresa que possui sua própria plataforma para a venda de tela perfurada, com a exposição de produtos, valores, descrições, entre outros elementos cruciais.

Por mais que alguns elementos possam ser terceirizados, como a logística ou a criação de site, o cliente em potencial ou consumidor adquire diretamente da empresa.

Nesse caso, se trata de um e-commerce, enquanto o marketplace é caracterizado por plataformas que viabilizam a atuação de diversos vendedores, ou seja, é possível dizer que é um meio coletivo de transações comerciais.

Basicamente, esse modo coletivo apresenta uma plataforma com produtos de outras empresas, o que proporciona o acesso dos consumidores a uma vitrine notável.

Principais aspectos de cada modelo

O modo de funcionamento se distingue de maneira significativa, principalmente, na forma de enfrentar os seguintes pontos:

Visibilidade

Devido à variedade de produtos, o marketplace pode ter uma maior visibilidade, o que contribui com que, principalmente, empresas novas possam atrair atenção e alcançar maior autoridade.

É válido citar que os produtos são divulgados a partir do momento que a empresa passa pelo processo de cadastro,sendo que eles são apresentados conforme os interesses do usuário e buscas.

Todavia, há alguns pontos que exigem atenção quando se trata da visibilidade, como a comissão cobrada, que varia, principalmente, de acordo com a divulgação requisitada na parte da realização do cadastro.

Se por um lado o alcance pode ser maior no marketplace, por outro, o e-commerce tem um modo de operação que atende um mercado específico.

Por exemplo, se uma marca vende cofre boca de lobo, apenas esse e outros produtos da empresa serão disponibilizados na plataforma, o que pode contribuir com a fidelização dos clientes.

Pagamento

Conforme será abordado, o investimento na criação de uma plataforma, e demais elementos, ao se tratar de um e-commerce, fica por conta do empreendedor – e não seria diferente ao se tratar dos modos de pagamento.

A diversidade pode fazer grande diferença para amenizar o abandono de carrinho, ou seja, quando a pessoa já selecionou os produtos e desistiu de comprar. Além disso, pode contribuir com a fidelização.

Esse é o caso de uma loja de pallet de contenção que aposta em pagamentos diferenciados, como boleto bancário e diferentes modos de crédito, podendo potencializar a praticidade proporcionada para os consumidores.

No caso do marketplace, assim como os demais elementos, é o empreendimento responsável pela plataforma que atende os custos e a resolução de cada processo, como etapas de segurança e opções oferecidas.

Concorrência

Um dos principais pontos a ser considerado ao se tratar da concorrência é que, conforme citado, o marketplace conta com uma atuação mais ampla, o que remete ao fato de que o e-commerce se destaca por uma relação mais próxima de apenas uma marca com o consumidor em potencial.

Esse ponto aponta uma relação distinta com a concorrência nesses sistemas, uma vez que no marketplace outros produtos são apresentados na mesma página, o que permite comparações mais ágeis por parte dos consumidores.

Lucratividade

Em relação à lucratividade, conforme abordado, no marketplace há uma comissão a ser paga de acordo com a divulgação almejada, o que pode variar de maneira significativa entre as plataformas.

No entanto, é válido considerar que, de um modo geral, tanto essa alternativa quanto o e-commerce são consideradas lucrativas, por mais que sejam de perspectivas distintas.

Isso se deve ao fato de que o marketplace tem o lucro ligado ao volume, enquanto o e-commerce é um canal de vendas direto, ou seja, a o ganho está associado ao diferencial proporcionado pela empresa.

Investimento

Sem dúvidas, é preciso ter noção dos custos que podem estar envolvidos nos dois estilos de divulgação, pois essa questão pode ser decisiva para identificar o mais compatível com as indispensabilidades da corporação.

Por causa da estrutura apresentada, o e-commerce exige os seguintes tipos de investimento:

  • Criação da plataforma;
  • Identidade visual;
  • Segurança para pagamento;
  • Design.

Já no marketplace, ao falar do investimento, ele pode ser relativamente inferior, devido ao fato de que a empresa criadora da plataforma exerce o principal papel em relação à estrutura e, muitas vezes, até mesmo na forma de pagamento.

Existe a opção ideal?

Nesse contexto, é muito importante abordar que ambas plataformas viabilizam os processos de compra e venda digitais, mas não há um padrão a ser seguido, especialmente ao considerar as divergências notáveis entre cada empresa.

Por outro lado, há alguns cenários que podem ser mais favoráveis de um modo geral para o e-commerce ou para o marketplace.

Por exemplo, se uma empresa que tem uma lista variada de produtos, como elástico fino para touca descartável, deseja começar a vender na internet, o marketplace pode ser uma opção viável.

Isso se deve ao fato de que, devido à atuação mais abrangente, o custo operacional pode ser significativo, assim como outros investimentos envolvidos no processo.

No entanto, quando uma marca já é consolidada, e/ou possui uma loja física, e deseja alinhar com um negócio digital para estabelecer um canal direto, apostar em um e-commerce e investir em divulgação são ações que podem ser favoráveis para a empresa.

Sendo assim, seja um empreendimento que atende o segmento de construção, com itens como tampa de concreto ou outro segmento, entre as principais questões que devem ser consideradas está a atuação da empresa, se é um mercado específico ou amplo.

Os recursos financeiros ligados a cada sistema também devem ser analisados com cautela, principalmente, quando são empresas novas.

De qualquer maneira, é fundamental compreender que a consolidação da marca pode ser alcançada a partir de ambos modelos, desde que sejam devidamente estudados e aplicados com cautela.

Dicas para atuar em cada plataforma

Identificou qual é o método mais adequado para o seu negócio? Embora existam particularidades a serem atendidas com muito cuidado em cada empresa, algumas dicas podem contribuir de maneira significativa para a atuação em cada alternativa, tais como:

Marketplace

Se uma empresa que atua com peças bobcat, como pneus, lâminas, engrenagens, entre outros itens para veículos industriais deseja apostar no marketplace, assim como empreendimentos de outros setores, é interessante que questões como as seguintes sejam respondidas:

  • Quais são as principais características da plataforma?
  • Qual é o melhor modo descrever os produtos?
  • Existe preparo para atender a demanda?
  • Como melhorar a logística?

São questões importantes para os empreendedores que desejam se destacar e priorizar a qualidade na atuação no marketplace.

Afinal, se deve considerar a concorrência direta e ao fato de que esse tipo de plataforma apresenta ferramentas específicas para comentários e avaliações dos consumidores.

Em relação à logística, muitas vezes o frete tem forte influência na concretização de uma compra, então uma grande dica tanto para o marketplace quanto para o e-commerce é buscar parcerias que favoreçam uma logística eficaz e com um bom custo-benefício.

E-commerce

Assim como no caso anterior, é preciso identificar a plataforma ideal, mas os aspectos averiguados são diferentes, tais como:

  • Possibilidades de personalização;
  • Usabilidade;
  • Segurança;
  • Suporte.

Essas são apenas algumas questões fundamentais para garantir que o e-commerce seja atrativo e funcional, principalmente, quando se considera a necessidade de adaptação associada ao design, sistema de cobrança, entre outras possibilidades.

No caso do suporte, basta imaginar uma empresa que comercializa materiais de construção, como pingadeira de concreto, e enfrenta falhas na plataforma selecionada, certamente ter suporte especializado fará grande diferença.

Naturalmente, há outros pontos que exigem atenção, como a implantação de recursos para atender os clientes de forma ágil e eficiente, como chats, e a disponibilização de outros canais.

Além desses aspectos, é válido abordar que o marketplace e o e-commerce também podem ser empregados de forma complementar, por exemplo, um empreendimento que vende telas e cercas, como de arame galvanizado, pode estar associado aos dois modelos.

No entanto, em vez de separar a administração de cada um, é preciso visar uma gestão unificada e que priorize a qualidade em cada etapa, desde a escolha das plataformas, qualidade dos produtos, até a entrega.

A possibilidade de alinhá-los reforça a questão de que não são excludentes, basta que o modo de atuação da empresa seja avaliado cautelosamente para identificar a solução mais compatível com suas necessidades.

 

Entenda como aplicar um plano de negócios no seu e-commerce

O E-commerce é uma alternativa que pode ser bastante promissora quando o objetivo é trabalhar com vendas online.

Prova disso é o fato de que 74% dos brasileiros que compram pela internet preferem fazer aquisições nessa plataforma, de acordo com um levantamento da NZN Intelligence.

Seja pela comodidade ou pela praticidade de não ter que ir à uma loja física, o comércio virtual é uma modalidade que ganha audiência a cada dia e, portanto, é uma boa oportunidade para expandir seus negócios na internet.

Roupas, cosméticos, acessórios industriais como conexões em aço inox, calçados. São tantas possibilidades de venda e isso mostra o quanto essa opção pode beneficiar os mais diversos segmentos do mercado.

Vale destacar que, assim como no negócio físico, é preciso fazer um plano de negócio para sua loja virtual.

Se interessou pelo assunto? Continue a leitura, pois vamos abordar algumas dicas de como você pode estruturar seu negócio na web.

Avalie seu produto

Pare e pense: o seu produto é algo que ganharia visibilidade e geraria um aumento de vendas com o mercado online?

Essa avaliação das oportunidades e características do produto nesse meio, bem como a análise das estratégias da concorrência, é um ponto de partida para a estruturação de um plano de negócio.

Vamos imaginar que você vende peças para autoclave e atende um nicho de mercado específico como consultórios odontológicos, laboratórios e áreas que utilizam a ferramenta para esterilizar instrumentos de trabalho.

Ao disponibilizar as peças online, as chances de elevar as vendas são altas, pois esse é um produto especializado e vender pela internet é algo que proporciona um acesso maior aos acessórios, independentemente da localização.

Outro exercício que pode te ajudar a responder essa questão é fazer uma análise das vendas de suas mercadorias feitas a partir de um e-commerce.

Estude a persona do seu negócio

Você sabe o que persona? É a representação do seu cliente ideal transmitida em um personagem fictício e que pode auxiliar muito na construção das estratégias de marketing e vendas da sua empresa.

Essa construção é feita com base em entrevistas, análise de dados e outras metodologias que ajudam seu empreendimento a identificar o perfil do cliente, seus hábitos de compra, preferências, necessidades e características emocionais.

Imagine que a persona da sua empresa é uma pessoa responsável pelo setor de compras de uma indústria. Será que essa pessoa teria confiança em adquirir acessórios como uma câmara fria à um clique de distância?

Considerando que esse  equipamento é fundamental na movimentação de cargas leves ou pesadas e que os maquinários industriais são variados, é importante certificar-se que todas as informações da descrição do produto são explicativas.

Do mesmo modo, é fundamental que haja uma equipe de atendimento disponível no chat para tirar todas as dúvidas do cliente.

Para te ajudar a mapear informações importantes da persona na hora de propor um modelo de negócio no mundo virtual, separamos alguns critérios que você deve pesquisar.

São eles:

  • Ter informações concretas sobre os hábitos de compra da persona;
  • Avaliar a relação do seu público com a internet;
  • Estudar o perfil do cliente;
  • Prestar suporte adequado para seu público durante a compra.

Especialmente no caso do suporte para a compra, é muito importante que você invista em uma equipe de atendimento.

Se o cliente precisa comprar uma bomba de água e não sabe qual é a mais adequada para sua instalação, é fundamental que ele tenha acesso à informações de qualidade para não ter algum tipo de frustração.

Lembre-se que uma boa experiência de compra é importante para que o cliente tenha confiança no seu modelo de negócio. Faça outras compras e indique o serviço.

Analise a concorrência e mostre diferenciais

Estudar a concorrência é algo que vale para todos os modelos de empreendimento.
No universo dos e-commerces não é diferente.

Afinal, você precisa saber os pontos fortes da concorrência para ter insights de como mostrar seus diferenciais.

Se você tem um comércio na área de acessórios industriais como tubo de aluminio quadrado, válvulas industriais, roscas e parafusos, saiba como os seus concorrentes estão trabalhando online

Qual é a plataforma que eles utilizam? Como descrevem os produtos e atendem os clientes? Qual é o tempo estimado para a entrega física do produto?

Se você já ouviu o termo análise SWOT, saiba que vale a pena utilizar essa ferramenta para descobrir os pontos fortes da sua marca e trabalhar essa imagem na web.

Na prática, a sigla faz referência a fatores como forças, fraquezas e oportunidades do negócio.

Para se ter uma ideia, imagine que a especialidade do seu negócio é oferecer produtos como a serra copo para concreto, que é uma broca adaptada para perfuração desse tipo de material.

Se a concorrência conta com o mesmo produto, mas não informa a certificação de qualidade da produção essa é uma forma de mostrar seu diferencial.

Do mesmo modo, se ela trabalha com peças provenientes de um fabricante que não é tão conceituado no mercado e desconhecido pela ABNT, essa é uma oportunidade de mostrar que o seu produto é melhor.

Estruture as operações logísticas

Todo produto que é vendido online precisa estar armazenado em algum lugar e chegar ao comprador de algum jeito.

Por isso, antes de abrir uma loja virtual se questione se a sua empresa tem os recursos necessários para a logística de operação que faz parte desse modelo.

Coloque tudo na ponta do lápis, como:

  • Custo do frete;
  • Local de armazenamento das mercadorias;
  • Domínio da loja virtual;
  • Investimento em hospedagem segura;
  • Parceria com formas de pagamento diferenciadas;
  • Assistência técnica para o site.

Equipamentos específicos como um forno para fundição de alumínio necessitam de um local amplo para armazenamento e podem pesar no cálculo do frete.

Faça uma pesquisa do custo-benefício que envolve a contratação de terceiros para otimizar as operações logísticas da sua empresa e lembre-se que o cuidado com a mercadoria  no mundo virtual é o mesmo de uma loja física.

É importante ainda que todo custo-extra que possa existir, como o transporte dos itens, seja informado ao consumidor. Além disso, é preciso esclarecer as regiões atendidas pelo serviço de entrega da sua loja.

Os fornecedores devem ser contratados com cautela, pois eles também podem influenciar a experiência de compra do cliente e a responsabilidade desta questão é do seu negócio.

Invista em boa experiência para o usuário

O que torna a experiência de compra positiva? Não importa se você vende um transformador de tensão pela internet ou uma roupa, há muitos fatores que podem atrair e fidelizar seu cliente ou fazer com que ele abandone o carrinho de compras.

Em produtos técnicos como o primeiro exemplo, pode ser que o cliente considere o preço transformador, a qualidade do atendente que tira dúvidas, a garantia e a certificação do fabricante.

No segundo caso, o período da entrega, o tamanho exato e a qualidade das peças correspondente ao que é mostrado nas fotografias.

Além dessas questões básicas, saiba que a facilidade de compra, as formas de pagamento disponíveis e até mesmo a velocidade de carregamento do site podem construir uma boa experiência.

Desse modo, vale testar as plataformas e investir em um design responsivo. Isso porque ele é adaptável tanto para desktop quanto para mobile. Com isso, também será interessante aprimorar as funcionalidades do e-commerce em termos de usabilidade do usuário.

Analisar a melhor plataforma, bem como as formas de pagamento disponíveis também faz parte da estruturação de negócio, afinal esses fatores impactam no setor financeiro do seu empreendimento.

Por que e-commerce?

O mundo é mobile. Os hábitos de compra mudaram com a chegada da internet e hoje muita gente adora comprar produtos sem sair do conforto do sofá de casa.

O e-commerce é um investimento que ajuda na expansão da empresa, encurta distâncias e vender online é não ter a limitação de fronteiras.

Como as pesquisas e tendências apontam para um crescimento cada vez maior desse modelo de vendas, começar um negócio na internet ou ampliar suas vendas para esse território é atualizar a competitividade no mercado diante da concorrência.

No entanto, para que as chances de sucesso sejam maiores, estruturar um plano de negócio é fundamental e faz parte para que a empresa saiba os seus potenciais, limitações e consiga evoluir no mundo dos negócios.

Se você deseja fazer parte dessa grande comunidade e ampliar suas vendas para a internet,  lembre-se da lição dos tópicos anteriores.

Desse modo, realize ações como anotar o que for necessário, além de estudar e definir metas para alcançar os objetivos da sua empresa a médio, curto e longo prazo.

Ao colocar no papel os recursos disponíveis, as metas para o futuro, as demandas mais urgentes e possíveis caminhos para sanar essas necessidades fica mais fácil dar os primeiros passos no comércio virtual.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Empréstimo consignado: O que é e como conseguir

Se você é servidor público, pensionista ou aposentado, saiba que existe um tipo de crédito feito especialmente para você. Conheça mais sobre o empréstimo consignado e saiba se essa é a sua melhor opção.

No empréstimo consignado, as suas parcelas serão descontadas na sua conta corrente assim que o seu salário for depositado. Por esse motivo, você deve deixar um valor reservado todo mês para que seja debitado.

Por esse motivo, você deve se planejar, calcular os seus gastos e saber que a parcela do seu empréstimo consignado não deve ultrapassar 25% da sua renda total mensal.

Se você está com o nome sujo, o ideal é que quite suas dívidas e as negocie para que não tenha problemas ao solicitar um empréstimo consignado.

Conheça o crédito consignado

Essa é considerada uma das linhas de crédito mais em conta e baratas que existem. Quem é pensionista, aposentado ou funcionário público tem a facilidade de conseguir crédito com juros mais baixos.

Mas é importante que você conheça os prós e contras desse tipo de empréstimo, uma vez que existem alguns riscos como ter uma dívida de longo prazo ou perder o seu emprego.

No entanto, o crédito consignado valerá a pena se você não comprometer o pagamentos das outras dívidas que você tenha e se planeje para tal ação.

Como solicitar o empréstimo consignado?

Para pedir esse tipo de empréstimo, você deverá entrar em contato com o banco ou a instituição financeira que trabalhe como esse crédito. Compare as taxas de juros que são cobradas por cada um e veja qual a melhor opção para você.

Geralmente os bancos solicitam alguns documentos pessoais no momento de fazer a cotação. Então você saberá quanto irá pagar ao final e o valor das suas prestações, que já deverão estar discriminados no seu contrato ao final do processo.

Qual a importância de emitir nota fiscal em comércio?

Fazer a emissão da nota fiscal de compra é muito importante, além de ser um documento necessário ela traz muitos benefícios, tanto para o consumidor quanto para o estabelecimento.

Apesar de ser um tema muito importante para todos, a emissão de notas fiscais geram algumas dúvidas hoje em dia para os novos empreendedores e para as pessoas que ainda não conhecem totalmente como funciona todo o processo, e não conhece a fundamental importância desse documento. Experimente a versão grátis por 30 dias.

emissão de nota fiscal

Essa dúvida de como realmente funciona o processo da nota fiscal, é normal tanto para as empresas quanto para as pessoas comuns, nesse artigo vamos mostrar mais detalhadamente as principais funções da emissão da nota fiscal, e seus benefícios.

Nunca pense somente na venda ou na compra e se esqueça da nota fiscal, isso porque é essencial para o empresário manter a sua empresa na regularidade fiscal, além da nota ser um documento obrigatório para todas as empresas.

Hoje me dia diante de toda a modernidade e mudança das leis, ainda existem empresas que deixam de emitir a nota fiscal, sem ter a noção que a nota fiscal é um documento essencial para o prosseguimento da empresa evoluir com seu crescimento, além de ser uma relação saudável entre o comerciante e o comprador.  Além disso, ela garante os direitos do consumidor e evita a evasão do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

A emissão de NF-e é essencial por muito mais fatores. Se você tem dúvidas sobre o assunto e quer entender um pouco mais sobre a sua importância, leia o artigo que preparamos.

O que é nota fiscal eletrônica e para o que serve

A emissão da nota fiscal é uma prática muito importante e obrigatória por parte das empresas para os consumidores, a nota fiscal tem o objetivo de fazer a regularização e o registro de todo o processo de compra ou transferência de qualquer tipo de produto ou bem da empresa para um cliente ou fornecedor.

A emissão de nota fiscal é indispensável para manter seu empreendimento na legalidade. Com isso, a nota fiscal é a etapa final da venda e “a certidão de nascimento da compra”.

emissão de nota fiscal

É nela que constam informações importantes como onde e quando o consumidor adquiriu o produto, além de comprovar a garantia da mercadoria, informando o seu tipo, série, modelo, marca, série e valor.

Para que isso aconteça, existem diversos tipos de notas fiscais, para que cada tipo de nota seja direcionada para uma funcionalidade, existem notas específicas para serviços feitos pelo consumidor, notas de produto, notas de exportação, de entrada e saída e também de importação.

A importância da emissão da nota fiscal eletrônica

A tributação é iniciada na nota fiscal, sendo assim a prova de que a empresa está correta com seus tributos e os pagamentos com os relativos percentuais são devidamente recolhidos pelo governo.

Também as notas fiscais são essenciais para mostrar que a empresa está sempre em dia com sua obrigações, gerando assim confiança para os fornecedores e seus clientes no negócio. A nota fiscal é um documento que é um direito do consumidor, que em caso de algum problema com o produto, como por exemplo um defeito, o consumidor pode exigir a substituição do produto, restituição da quantia paga ou abatimento proporcional do preço, mediante a nota fiscal.

Essa obrigação de emissão de notas fiscais não se aplica para os empresários que são enquadrados como MEI (Microempreendedor individual). Para quem é MEI, emitir nota fiscal é obrigatório somente em vendas e prestações de serviços para pessoas jurídicas de qualquer porte.

Benefícios da Nota fiscal Eletrônica

A falta de informação de muitas pessoas hoje em dia, fazem com que muitas não sejam adeptas da nota fiscal, a nota fiscal foi criada em 2008 pelo governo, com o principal objetivo de oferecer mais segurança ao consumidor, agilidade e controle fiscal.

emissão de nota fiscal

A inclusão dessa tecnologia em seus processos é capaz de promover diversos benefícios para você como contribuinte, comprador e para a sociedade como um todo. Para isso, listamos alguns benefícios que a emissão da NF-e pode lhe acometer.

Para o contribuinte:

  • Diminuição dos custos com impressão e materiais para impressão;
  • Diminuição de custos de envio;
  • Aumento do espaço de armazenagem de documentos;
  • Simplificação e redução de custo dos processos;
  • Otimização do tempo;
  • Aumento da segurança e sigilo de dados;
  • Incentivo de novas tecnologias (emissor de nota fiscal).

Para o comprador:

  • Extinção de preenchimento de notas fiscais na entrada de mercadorias;
  • Redução dos erros de preenchimento;
  • Criação de padrões dos contatos com as empresas;
  • Diminuição no consumo de papel;
  • Proteção da garantia de troca ou devolução do produto adquirido.

Para a sociedade:

  • Incentivo do comércio eletrônico
  • Diminuição dos impactos ambientais
  • Probabilidade de aparecimento de novos negócios relacionados à emissão de nota fiscal.

Além da nota fiscal ser um documento muito importante, vimos acima que traz inúmeros benefícios não só para as empresa que implementam essa metodologia, mas como também para os consumidores e sociedade.